"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."
Voltaire

tradutor

sábado, 10 de dezembro de 2011

CONSERVAR O PASSADO E CONVIVER COM O PRESENTE É POSSÍVEL

A recente explosão das diferentes formas de tecnologia que têm adentrado na sociedade são nostálgicas e ao mesmo tempo assustadoras. Nostálgicas, pois mostram que todos podem utilizá-las de maneira benéfica na difusão de opiniões e conhecimento, por exemplo, através da internet. E, assustadoras, no sentido de como elas influenciam a vida de cada pessoa.

É inegável que o uso do papel para muitos ainda se faz indispensável. O cheiro, a textura, o toque são – sem sombra de dúvidas – apreços da época de que surgira a novidade do papel impresso. Hoje, isso vem perdendo espaço para os tablets, os e-books, que funcionam como “imensas bibliotecas” virtuais. Porém o mal uso dessa tecnologia gera problemas a seus usuários.

A maioria daqueles novos usuários que utilizam a ciência dos livros digitais, estão desenvolvendo incapacidade de concentração para realizar uma simples leitura. Algo preocupante, porque afeta diretamente a possibilidade da pessoa em concluir com sucesso algum trabalho importante ou tirar conclusões rápidas e precisas. Isso resulta de uma geração que nasce envolvida nesse universo, e que se apega à execução de múltiplas tarefas.

Não se deve repudiar a entrada de novidades em um mundo que deveria ser mais palpável como dos livros, mas sim, harmonia. Faz-se necessário o equilíbrio entre o tradicional e o moderno. Por isso, romper com o passado seria quebrar uma norma de conduta bem estipulada, apesar de pouco trabalhada durante os anos com tais gerações.

Assim, tomar uma posição quanto à presença da interação conservadora e da interação dinâmica na sociedade seria o melhor caminho. Juntas – interação conservadora e interação dinâmica – somente têm coisas a somar diante à sociedade. Mas claro, dentro de certos limites. Respeitando-as será possível conviver com o velho e o novo de forma mais saudável e compreensiva.

Nenhum comentário: